0 - R$ 0,00

Aviso Sobre Cookies:

Esse site utiliza cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

BLOG

Produtos eróticos: motivos para usar e curtir muito…. 27/11/2020 12h00 | BY Anônimo

145

Se você já visitou nosso blog pelo menos uma vez, sabe que nosso tema principal, como não poderia deixar de ser, é o sexo. Mas, não falamos sobre isso de qualquer maneira. Nosso objetivo é trazer informação de qualidade com uma pitadinha de humor para que você possa desfrutar das melhores sensações na hora H. E um assunto é recorrente aqui: o uso de produtos eróticos. Se você ainda tem dúvidas dos benefícios desses produtos para o desempenho sexual, e, principalmente, para a sua saúde, esse artigo vai ajudar e muito. Leia até o final, a gente garante a satisfação no final! 

Não dá para ignorar que passamos por um momento único na história: a pandemia do novo coronavírus virou quase tudo de cabeça, inclusive as relações. É um tempo em que milhões de pessoas mundo afora tem descoberto novas formas de prazer e satisfação nos relacionamentos. Eles são fundamentais para manter as pessoas com o mínimo de sanidade em tempos tão incertos. Dois mil e vinte é um ano histórico para o sexo.

Mais uma vez, fazemos o convite para um rápido passeio pela história. Não é de hoje que o ser humano busca maneiras de aumentar sua sensação de prazer durante o sexo. Segundo estudiosos, os gregos, considerados pais da civilização moderna, e egípcios, povo africano que muito contribuiu com o desenvolvimento da humanidade, usavam bananas verdes como brinquedos sexuais. Curioso, não?! 

Para começar, a gente cita dois brinquedos eróticos que fazem muito sucesso hoje em dia. O primeiro dildo (objeto de formato semelhante ao pênis) que se tem notícia foi encontrado por pesquisadores em 2010 na Alemanha, era de madeira e foi usado há pelo menos 10 mil anos. Outro sexy toy muito procurado hoje, o anel peniano foi criado em 1.200 A.C e foi usado por nobres da China. Esse acessório, um dos sucessos de vendas nos sex shops, era feito de pálpebras de cabras e depois, de pedras de jade, material duro e compacto, de cor verde escura. 

O vibrador, carro chefe dos sex shops, foi criado no século XIX. O mais curioso (prepare-se porque tem muito mais…) é que o uso desse objeto já foi recomendado por médicos. Naquela época era comum falar em histeria, algo que trazia muito sofrimento para as mulheres. Era um distúrbio mental específico e seus principais sintomas eram anestesia, apatia em relação ao mundo exterior, confusão mental, desmaios, falta de ar e múltipla personalidade.  A conclusão dos médicos era que esse mal deveria ser tratado com estímulo sexual. O acessório passou por muitas transformações até chegar à versão portátil, muito vendida atualmente. 

Em 1869 (esse número é bem sugestivo, a gente sabe… rsrs) George Taylor, médico norte-americano, criou uma engenhoca que prometia muito prazer ao público feminino: 

o vibrador a vapor. A aparência era mais de uma máquina industrial, porque era grande e feita de aço. Chamado de maneira sugestiva “The Manipulator” (O Manipulador, traduzido do inglês) também servia para tratar a histeria feminina, como explicado anteriormente. 

Quando se fala de brinquedos eróticos, duas coisas andam muito próximas: comportamento e evolução tecnológica. Versões portáteis do vibrador, produto com alta demanda na época, vieram logo depois. Em 1880, o médico inglês Joseph Mortimer Granville criou o vibrador movido à manivela. Nove anos depois, versões mais leves chegavam às casas. 

O sucesso dos vibradores seguiu até os anos 1930. Nessa época, ele passou a ser o “patinho feio”. Mais uma vez, questões ligadas ao comportamento ajudam a explicar. A evolução da ciência, que permitiu a descoberta de novos conhecimentos sobre sexualidade feminina, e o uso dos vibradores nos filmes pornográficos são alguns dos fatores que fizeram o uso dos vibradores ser mal visto. Outro detalhe importante: por ignorância, muita gente dizia na época que se a mulher gostava de vibrador, esse era um sinal que o marido “não dava conta do recado”.

O retorno triunfal veio nos anos 1970, na esteira da Revolução Sexual, movimento que virou comportamentos e regras sociais de cabeça para baixo e representou um grito de libertação das mulheres. 

Nessa mesma época, o vibrador ganhou a companhia de outros produtos eróticos em um lugar específico: os sex shops. Os primeiros empreendimentos desse tipo foram criados na década de 1970, nos Estados Unidos, e logo se espalharam pelo mundo. Eram lojas administradas por mulheres e prontos para receber mulheres. Os ambientes tinham como ponto principal a discrição. Neles era possível comprar produtos eróticos e livros sobre saúde sexual e prazer. 

Nesse contexto, também existe espaço para quem quer se sentir super herói. Estamos falando da capa peniana. Além de aumentar a potência do homem e ampliar o prazer sentido pela mulher (justamente porque a penetração fica mais intensa), ela retarda a ejaculação (como o pênis não está diretamente em contato com a vagina, a fricção do membro é menor, assim, o homem demora um pouco mais para gozar), aumenta o período de ereção (a capa faz uma leve pressão no pênis, diminuindo a velocidade do fluxo sanguíneo, e deixando o membro pronto para jogo durante mais tempo) e auxilia homens que tenham disfunção erétil: alguns modelos de capa envolvem todo o membro e contam com cintas para fixação. 

O acessório é um belo reforço: deixa o órgão sexual ligeiramente maior, tanto no comprimento, quanto no diâmetro. E esse reforço pode ser entre 2,5 e 7 cm. 

Como você viu até aqui, o que não faltam são opções para conhecer o incrível universo dos produtos eróticos. Quem conhece, não quer parar mais. E a gente prova porque nas próximas linhas.


 

Porque você não pode perder mais tempo… 

1-Um alívio para a rotina 

A correria diária, com tantas obrigações (trabalho, família, relações sociais) consome boa parte da nossa energia. E a tendência de tudo cair na rotina é grande. Os produtos eróticos são ótimas opções para sair da mesmice na hora H;

 

2-Te ajuda a se conhecer mais (e quem está com você, também)

O uso de produtos eróticos permite que você conheça mais o próprio corpo e isso é ótimo pensando em novos limites para o prazer. Nosso corpo é cheio de zonas erógenas, pontos que, quando estimulados de determinada maneira, são portas abertas para a excitação sexual. E não são só os genitais que podem nos deixar mais excitados. Pescoço, orelhas, nuca e até os cotovelos são alguns desses pontos especiais no nosso corpo. Isso também é legal para o seu (a) parceiro (a);

 

3-Te dá mais intimidade com quem você ama

Investir para aumentar o vínculo entre o casal é sempre importante. E experimentar novidades contribui diretamente para isso. Os produtos eróticos podem ajudar na hora de conhecer os desejos do (a) parceiro (a). Quer um exemplo? Os jogos simbolizam uma forma divertida e sensual de esquentar o clima entre quatro paredes.

Esses e outros produtos eróticos podem ajudar na (re) descoberta de compartilhar prazer. Quando o assunto é sexo, nada pode ser feito só para agradar o outro ou a si mesmo. Novos itens na hora H podem dar aquele empurrãozinho: vocês vão aumentar a conexão e se sentir mais próximos. Quando isso é feito com alguém que você ama, é melhor ainda!;

 

4-Te ajuda a ter mais saúde

Os produtos eróticos estão cada vez mais bem elaborados, feitos com materiais atóxicos, que não causam irritação ou alergia. Alguns deles tem propriedades regeneradoras e hidratantes, e isso faz muito bem para a sua saúde sexual. E nunca é demais lembrar alguns dos benefícios de uma boa transa: fortalecimento do sistema imunológico, queima de calorias, além de ser um santo remédio para o estresse (a liberação de hormônios, como a endorfina e a ocitocina, ligados às sensações de prazer e bem-estar);


5- Te ajuda a dar asas à imaginação

Já ouviu falar em 50 tons de Cinza? A história, retratada em filme e livro, fez sucesso no mundo inteiro: a paixão avassaladora do bilionário Christian Grey e da estudante Anastasia Steele. Mesmo inexperiente quando o assunto é sexo, ela se entrega aos loucos desejos de Grey e descobre novos prazeres. A vida precisa de um pouquinho de fantasia. E no sexo não é diferente. São muitas opções para tornar as relações mais criativas e prazerosas.

Primeiro, vamos falar de algo que pode ser usado por eles e elas: os produtos eróticos beijáveis e comestíveis: calcinhas, géis, gloss e mousses, entre outros. O uso é bem simples. Os géis comestíveis, por exemplo, podem ser aplicados na região íntima, aumentam a sensibilidade nas zonas erógenas (pontos do corpo que nos deixam excitados quando estimulados) e alguns deles mexem muito com as sensações: o efeito esquenta/esfria, para citar um só, é gostoso demais!

As fantasias também servem para ambos os sexos. Que tal viver um personagem? Capriche no cenário e nos trajes!

E não precisa de muita coisa. Para elas, uma ótima opção é a calcinha tailandesa: peça confeccionada em renda, que além de muito bonita, conta com um cordão em pérolas que massageia o clítoris e o pênis. Para eles, há o anel peniano - que retarda a ejaculação e faz a ereção durar mais tempo - e a capa peniana, que diminui o contato direto no momento da penetração, mas, serve como um reforço para o homem na hora h: deixa o pênis ligeiramente maior e mais largo e aumenta o período de ereção.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Ainda tem vergonha de usar produtos eróticos? Deixa isso pra lá! Mais do que nunca, é hora de libertar suas fantasias e deixe a criatividade falar mais alto. A Essencial Prazer tem diversos itens pra você deixar as horas com o seu amor muito mais quentes. Aproveitem!